Paripueira

Até o ano 1000, aproximadamente, a região era habitada por povos indígenas tapuias. Nessa época, a região foi invadida por povos tupis procedentes da Amazônia, os quais expulsaram os tapuias para o interior do continente. No século XVI, a região era habitada por um desses povos tupis, os caetés, os quais viriam a ser escravizados pelos portugueses, que aí chegaram nesse século7 .

A atual cidade formou-se a partir de uma colônia de pescadores, tendo crescido por causa da proximidade com Maceió e após ser descoberta como área de veraneio. O povoado sofreu influência holandesa durante as Invasões holandesas no Brasil, no século XVII. Em 1635, o coronel de origem polonesa (Crestofle d'Artischau Arciszewski), a serviço da Companhia Neerlandesa das Índias Ocidentais, levantou, ali um grande campo fortificado, os Redutos da Praia de Paripueira, apoiado nos rios Santo Antônio Grande e São Gonçalo, com vistas a guardar a extremidade sul dos domínios holandeses, além de barrar as incursões da guerrilha luso-brasileira. Em uma pesquisa arqueológica nas ruínas de um forte, foram encontradas mais de 6 000 peças.

A expansão turística fez o povoado, que pertencia à Barra de Santo Antônio, crescer e ganhar importância, fazendo com que alguns moradores iniciassem um movimento pela emancipação política. José Vasco, José Dadi, Hamilton Monteiro e Lamenha Filho foram importantes nesse processo. Com isso, o município terminou criado pela Constituição Estadual de1988. Ações judiciais questionaram a constitucionalidade do processo até 1990, quando houve um plebiscito, mas só em1991 é que Carlos Alberto Costa foi nomeado administrador público. Em maio, uma nova liminar cassou a transformação do município, mas o Supremo Tribunal Federal manteve a decisão inicial.

Hoje, Paripueira é uma cidade que recebe milhares de turistas ávidos por desfrutar a tranqüilidade de suas praias. A cidade convive também com a alegria das festas carnavalescas, promovendo um dos maiores carnavais do Estado, além da tradicional Festa de Santo Amaro, em janeiro, em homenagem ao padroeiro local. As festas da Agulha e da Lagosta também são prestigiadas.

Paripueira possui uma das mais longas praias do estado de Alagoas: na maré baixa, é possível se andar quilômetros mar adentro com a água pelos joelhos. São praias que estão ocupadas principalmente por pescadores e casas de veraneio ao longo do litoral do município.

A praia possui 25 piscinas naturais a 1 km da costa. As barreiras de corais, que se encontram na região do município e municípios vizinhos, são consideradas a terceira maior formação de corais do mundo.





Galeria de fotos

Baixe nosso aplicativo

E fique por dentro de tudo que acontece em Alagoas, descontos e curiosidades